Medicamentos com preços mais altos, o que fazer?

Rede de farmácias promete preços mais acessíveis para pequenas farmácias

O governo federal autorizou reajuste dos preços dos medicamentos neste início do mês de abril. A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) anunciou o aumento que pode chegar a até 10,8%. O reajuste já pode ser aplicado pelas farmacêuticas.

Em tempos de crise pela pandemia do Coronavírus, a notícia abala principalmente quem usa medicação controlada, e até quem procure uma farmácia esporadicamente.  A boa notícia é que o mercado farmacêutico acaba de ganhar uma nova rede de farmácias, a Farmavocê, que promete facilitar a vida do consumidor e do dono de pequenas farmácias. Segundo o CEO Aníbal Neri, a nova bandeira tem uma proposta “de ofertar um modelo de negócio acessível às pequenas farmácias que querem elevar seu nível de concorrência com as grandes redes”, afirma.

Desta forma, é possível trabalhar com preços melhores e elevar a competitividade. “A Farmavocê conta com quase 100 itens exclusivos da rede e oferecemos um poder de negociação para as farmácias que participarem, com vantagens e valores que podem chegar até 20% mais em conta”, explica Neri.

As farmácias ainda terão à disposição estratégias e marketing e suporte que irão alavancar ainda mais ofertas e vendas. De acordo com o diretor de suporte da rede, Douglas Spanghero, a Farmavocê já nasce com toda a experiência de mercado farmacêutico. “Nós damos todo o suporte e posicionamento de mercado”, garante. E complementa: “A gratuidade na taxa de adesão e mensalidade é algo inédito no mercado”.

Saiba mais em: https://farmavoce.com.br/

Gostou? Compartilhe nas suas redes sociais!